Alimentação

Manteiga ou margarina: qual é mais saudável?

outubro 1, 2015

Pois é, já ouvi muitas perguntas sobre esse tema. A manteiga é mais tradicional, saborosa, mais popular entre os mais velhos. Já a margarina se diz mais saudável e vem em inúmeras formas: com sal, sem sal, light, aerada, etc., e tem conquistado cada vez mais espaço. Ela se diz mais saudável por ser derivada de óleos vegetais. Tudo que vem dos vegetais há de ser mais saudável, certo? Pois então, nem sempre.Tenho pesquisado muito ultimamente sobre alimentação funcional e o que realmente é SAUDÁVEL. Existem diversas alternativas hoje no mercado para quem quer se alimentar bem, e há infinitos alimentos que se dizem saudáveis mas que, ao analisar a composição, não são nada disso que anunciam. Um dos fatores a considerar, ao analisar um alimento, é sua composição. É preciso entender que, quanto mais processado e industrializado for o alimento, pior ele é para a sua saúde, inevitavelmente.

Analise comigo, então, a composição da margarina x a composição da manteiga. A primeira é produzida de óleo vegetal. Através de um processo chamado hidrogenação – reação química de adição de hidrogênio em uma molécula – o componente líquido fica sólido.  Depois são adicionados branqueadores e aditivos. Já a manteiga é de origem animal e é produzida através do leite batido. Depois de ser lavada e manuseada, adquire a forma sólida conhecida.

A margarina é um produto artificial, rico em gordura e cheio de aditivos, o que pode dificultar a metabolização do organismo; No entanto, a manteiga é rica em colesterol e gordura saturada.

A gordura saturada causa polêmica. Assim como o coitado do ovo, alguns dizem que pode aumentar os riscos de doenças coronárias. Estudos recentes contestam essa má fama, uma vez que o colesterol é encontrado em alimentos de origem animal como carnes, ovos e manteiga. São alimentos que o ser humano está adaptado a consumir desde os seus primórdios. Portanto, em moderação, a gordura saturada não é completamente maligna. A margarina, por sua vez, é rica em gorduras insaturadas, a chamada “gordura do bem”.

Ambas são ricas em gordura, mas a margarina leva a desvantagem. Ela é rica em ômega 6, que, se ingerido em grande quantidade, aumenta os riscos de desenvolver processos inflamatórios e doenças coronárias. A margarina também amplia os riscos de câncer por ser um produto industrializado e com aditivos como corantes e estabilizantes.

Há uma última gordura a ser considerada: a gordura trans. As gorduras trans são obtidas através do processo de hidrogenação dos óleos vegetais, ou seja: através, justamente, do processo em que é produzida a margarina. Esse processo de hidrogenação é muito utilizado na indústria alimentícia por aumentar a validade dos produtos e diminuir a necessidade de refrigeração — diminuindo, assim, o custo de produção. 

Existem, hoje, a margarina sem gordura trans no mercado. No entanto, para obter esse valor reduzido de gorduras trans, é necessário que ocorra o processo de interesterificação — ou seja, o óleo vegetal modificado quimicamente. 

Resumindo: é melhor evitar o consumo de ambos, por ambos terem elevado valor calórico e quantidade de gorduras. A sugestão é a utilização do azeite, que é rico em ácidos graxos monoinsaturados (como o ômega-9). Evitar comer farinhas brancas, como aquela contida no pão de sal, também auxilia na perda de peso e melhora da saúde. Caso não queira evitar o consumo de ambos, a quantidade diária recomendada é de 1 colher de sobremesa, ou seja, 2 pontas de facas rasas.

Mas, quando for considerar se o alimento é saudável ou não, lembre-se de sempre considerar se o alimento é o mais natural possível, com o menor número de corantes e estabilizantes. Se você não entender o que é determinado ingrediente no rótulo, pode saber que, provavelmente, aquilo ali não é nada natural e nada saudável.


assana

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply