Alimentação

Dieta Paleolítica – Prós e Contras

dezembro 5, 2014

No post passado nós falamos sobre a dieta Paleolítica – Paleo – que tem virado a maior febre entre pessoas que levam um estilo de vida fitness. A dieta foi desenvolvida pelo biólogo e ex-atleta norte-americano Mark Sisson, e prega que nós devemos consumir apenas alimentos iguais aos nossos ancestrais da época Paleolítica. Assim, é expressamente proibido o consumo de alimentos industrializados, e o consumo de carnes, vegetais, legumes e frutas é priorizado. Quais são os pros e contras dessa dieta da idade das pedras? Vamos lá:

Prós:

O consumo de calorias principal que essa dieta prega é de carnes. E, realmente, o consumo de proteínas ao longo do dia é essencial para promover o bom funcionamento dos nossos corpos: composição muscular, recuperação dos tecidos, auxílio para a produção de hormônios, enzimas, anticorpos, e outros agentes metabólicos. Nas carnes estão concentradas as maiores quantidades de aminoácidos essenciais, aqueles que não são produzidos em nosso organismo.

Na época dos homens das cavernas, não existiam plantações de milho, trigo e arroz. Muito menos moíam e misturavam grãos. Então, na dieta Paleo, massas são excluídas. Assim, as fontes de carboidratos permitidas na dieta são apenas legumes, verduras e frutas, que oferecem uma quantidade boa de fibras e contêm um índice glicêmico menor que as massas. Assim, o emagrecimento ou manutenção de um peso ideal é facilitado.

A dieta permite, também, o consumo de gorduras, o que pode ser muito benéfico à saúde. Gorduras insaturadas ajudam a reduzir o colesterol LDL, e aumenta o HDL, que é o colesterol bom. É preferível que a fonte de gorduras seja de peixes de águas profundas, castanhas, nozes, pistache, amêndoas e amendoim.

Se pensarmos bem, na época de nossos ancestrais, eles bebiam apenas água. A água é a forma mais natural de hidratação. Não há desvantagens em consumir água, gente!

Outro pró é a proibição da ingestão de alimentos processados e industrializados. Geralmente esses produtos possuem carboidratos refinados, como açúcar branco e farinha. Esses carboidratos são rapidamente absorvidos pelo organismo e ativam grande quantidade de insulina. Isso vale tanto para comidas quanto para bebidas. Alimentos industrializados geralmente possuem grande quantidade de corantes, conservantes e estabilizantes, e tudo isso faz mal.

Contras:

Analisando o fato de a dieta permitir “proteína à vontade”, podemos perceber que esse pensamento é ligeiramente perigoso. Se consumirmos proteína em excesso, podemos ter efeitos colaterais como a retirada de cálcio dos ossos, a acidificação do sangue e uma sobrecarga nos rins. De acordo com a OMS, o consumo máximo diário de proteína deverá ser de 30% das calorias ingeridas. Há, também, o fato de que nem toda carne é ideal – proteínas provenientes do peixe são excelentes, pois o peixe é uma fonte de proteína com gorduras boas. Já as carnes vermelhas possuem um índice maior de gordura saturada, o que pode ser prejudicial à saúde.

Por ser permitido consumir apenas frutas, legumes e verduras como fonte de carboidrato, no dia-a-dia, o consumo desse macro nutriente poderá ser insuficiente. A falta de carboidrato pode causar náuseas, dores de cabeça, tonturas e fraqueza. Portanto, é necessário bastante cuidado! Há, também, o fato de frutas serem mais calóricas que vegetais. Banana, abacate, melancia, melão e coco possuem muito carboidrato. Os vegetais e legumes com índice maior de carboidrato são: batata, cebola, pimentão e abóbora.

A dieta permite que sejam consumidas gorduras “à vontade” também, mas é importante que não sejam consumidas em excesso. A OMS recomenda que, das calorias consumidas diariamente, apenas 30% sejam provenientes de gorduras. E também é preciso ficar de olho no tipo de gordura sendo ingerida. Se for saturada, o colesterol ruim poderá aumentar!

O Mark Sisson defende que é bom ficar longos períodos em jejum, assim como nossos antepassados ficavam. Ele recomenda ficar entre 16 a 24 horas em jejum. Isso é perigoso – o ideal é manter índices estáveis de glicose para o corpo ficar bem. Jejum prolongado pode provocar hipoglicemia, perda de massa muscular, etc.

O que podemos concluir é o seguinte: a dieta é interessante por proibir alimentos industrializados. O consumo dos macro-nutrientes essenciais em nossos cotidianos é o mais “limpo” possível. No entanto, é necessário tomar algumas medidas para evitar o consumo exagerado de alguns, ou até mesmo errôneo. Lembre-se: cada organismo reage de forma diferente a diferentes estímulos! Nenhuma dieta é uma receita de bolo para o emagrecimento – isso não existe!


assana

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply Gabriela julho 1, 2015 at 11:56 am

    Pimentão tem muito carboidrato? Gente :O

  • Leave a Reply